Desafio Mensal

Todos os meses o programa PEGADAS lança um desafio à comunidade escolar sobre um tema da atualidade. Através de uma simples notícia, slogan, vídeo ou fotografia, damos o mote para que se possa refletir, argumentar e desenvolver espírito crítico sobre  assuntos de cariz ambiental.

Com este desafio queremos envolver professores e alunos num debate construtivo e participativo, com a partilha das suas visões escritas, gráficas ou filmadas sobre os desafios propostos.

Todas as participações deverão ser enviadas num dos seguintes formatos: 
– Vídeo – em formato reportagem, entrevista ou testemunho (máximo 1.30min);

– Texto em formato reportagem jornalística ou artigo de opinião (máximo 1 pág/ letra calibri 11) 
Observação: Todos os textos dos participantes da escola/agrupamento devem ser compilados num único documento devidamente corrigido pelo professor responsável. 

– Desenho ou trabalhos manuais.


Todas as participações deverão ser submetidas para publicação posterior através do e-mail pegadas@cm-guimaraes.pt.

Queremos o envolvimento e participação de todos numa reflexão alargada sobre os acontecimentos da nossa casa comum.

maio 2022
Insetos para consumo humano, um setor em crescimento

Dizem que o futuro da alimentação humana passará pelos insetos. É já um facto que eles entraram na nossa dieta alimentar, quer diretamente através de certas misturas em alguns produtos alimentares, como cereais ou farinhas, ou de forma indireta, através da utilização na ração de muitos animais que consumimos. Segundo muitos investigadores, a alimentação do futuro terá que obrigatoriamente garantir uma menor emissão de gases com efeito de estufa e implicar menos recursos como o uso do solo ou de água. Nesta perspetiva, os insetos parecem garantir essa solução. Ricos em proteínas, de fácil reprodução, com baixo custo de manutenção, estes parecem de facto vir para ficar na alimentação humana. Porém, a ameaça do aumento das temperaturas globais e da agricultura intensiva, com uso de pesticidas, tem contribuído para o declínio deste grupo de organismos. De acordo com a revista Nature estes dois fatores contribuíram para uma queda de 27% na diversidade de espécies. Sendo assim, qual o futuro que nos espera?

Desafiamos os alunos a investigar sobre este tema: O que dizem os investigadores sobre este tema? Quais as vantagens e desvantagens desta mudança alimentar? Na tua opinião o futuro da humanidade passa por uma alimentação com insetos?

Todas as contribuições deverão ser remetidas para: pegadas@cm-guimaraes.pt, a fim de serem partilhadas no portal PEGADAS.

Informação de apoio

abril 2022
Os impactos ambientais da guerra na Ucrânia

Para além das insubstituíveis perdas humanas e da tragédia humanitária, com o aumento exponencial de refugiados, a guerra acarreta um enorme impacto na biodiversidade, na saúde, nos ecossistemas e nos recursos naturais.

Propomos uma investigação dos impactos das guerras na natureza, com exploração de exemplos da história mundial como Chernobyl, em 1986, e de Fukushima, em 2011 e agora Ucrânia, em 2022.

Propomos uma viagem pelo lado mais dramático da humanidade e dos impactos ambientais que nos afetam a todos.

Todas as contribuições deverão ser remetidas para: pegadas@cm-guimaraes.pt, a fim de serem partilhadas no portal PEGADAS.

Informação de apoio

março 2022
Todo o território de Portugal continental está em situação de seca severa ou extrema.

Diariamente ouvimos notícias que nos dão conta da grave situação de seca que Portugal continental atravessa.

São sobretudo as zonas do interior e sul do país as mais afetadas pela falta de água, sendo já consideradas zonas em seca severa e extrema.

O impacto da falta de água, como facilmente compreenderemos, são avassaladores para todas as atividades, desde a industrial, agricultura, pecuária e, inclusive, para todas as ações do quotidiano. De acordo com o IPMA Portugal está em seca meteorológica desde novembro de 2021 e a situação tem-se agravado de forma assustadora.

Reflete sobre este problema atual de Portugal. Investiga os impactos para as comunidades, para o ambiente e para a economia. Investiga que medidas as empresas, os agricultores e as autarquias estão a tomar para minimizar os impactos da seca.

Deixa-nos as tuas dicas para evitarmos desperdícios de água.

Todas as contribuições deverão ser remetidas para: pegadas@cm-guimaraes.pt, a fim de serem partilhadas no portal PEGADAS.

Informação de apoio

fevereiro 2022

Declínio das Zonas Húmidas um pouco por todo o mundo

Cerca de 1656 quilómetros quadrados do território nacional (1,8% do território), são ocupados por zonas húmidas e cerca de 80% destes habitats estão ameaçados, este é o alerta feito pela Associação Zero. 

De acordo com a mesma fonte, o declínio deve-se sobretudo à ocupação urbana e industrial, à poluição, à má gestão e utilização da água, à sobreexploração de recursos e à construção de infraestruturas como barragens. Os ambientalistas estimam que “desde o início do século XX, tenham desaparecido entre 64 e 71% destes espaços”, em todo o mundo. 

Estas áreas são, porém, essenciais para prevenir e minimizar efeitos de cheias, proteger a linha de costa, fornecer água e alimentos, servir de reservatório de biodiversidade e mitigar as alterações climáticas através da fixação de dióxido de carbono. Por tudo isto, importa conhecer melhor estas áreas e criar medidas para as protegermos. 

Assim, propomos aos alunos de todos os ciclos, uma reflexão alargada sobre este tema, com exploração das áreas húmidas mais importantes de Portugal, focando igualmente fragilidades e estratégias para a sua preservação. 

Todas as contribuições deverão ser remetidas para: pegadas@cm-guimaraes.pt, a fim de serem partilhadas no portal PEGADAS.

Informação de apoio

Janeiro 2022
ONU declara o ano 2022 como o Ano Internacional da Pesca Artesanal e da Aquicultura

O sistema alimentar mundial enfrenta inúmeros desafios, desde: a escassez de alimentos, o surgimento de novas pragas, o aumento da população mundial, o enorme desperdício alimentar, o esgotamento dos recursos naturais, os efeitos das alterações climáticas, entre muitos outros.

Urge portanto repensar toda a cadeia alimentar desde a produção até ao consumo, com objetivo de promover uma alimentação mais consciente, saudável e sustentável. 

É sobre este mote que a ONU declara o ano 2022 como o Ano Internacional da Pesca Artesanal e da Aquicultura, direcionando o foco para um dos setores de extrema importância alimentar.

O tema escolhido visa contribuir para aumentar a consciencialização e o debate sobre este setor fundamental, através da implementação de estratégias de pesca mais responsáveis, com maiores interações entre os decisores políticos e a comunidade pesqueira, com vista a fortalecer a sustentabilidade da pesca de pequena escala, contribuindo para a redução da pobreza, para a preservação dos recursos e, consequentemente, para a sustentabilidade ambiental.

Propomos aos alunos, de todos os ciclos, uma reflexão alargada sobre este tema, com explanação da diferença entre pesca intensiva e artesanal; os impactos destas práticas nos ecossistemas; a importância deste setor na redução da pobreza e estratégias possíveis para práticas mais sustentáveis.

Sugestão para alunos de secundário – documentário: Seaspiracy, 2021.

Todas as contribuições deverão ser remetidas para: pegadas@cm-guimaraes.pt, a fim de serem partilhadas no portal PEGADAS.

Dezembro 2021
Será que a pandemia mudou os hábitos de consumo?

A pandemia veio trazer grandes mudanças na forma como consumimos. Desde uma maior reflexão sobre a necessidade de aquisição de certos bens, uma maior poupança ou, pelo contrário, um consumo maior através da internet.

O certo é que a pandemia veio alterar significativamente a forma de ser e estar enquanto consumidores.

Convidamos-te a refletir sobre esta questão, neste período de maiores gastos, e nos deixasses a tua visão do que mudou, para melhor ou para pior, e que sugestões deixarias para adotarmos um consumo mais racional e moderado?

Achas que este natal de 2021 haverá mais ou menos consumismo?

Todas as reflexões escritas deverão ser remetidas para: pegadas@cm-guimaraes.pt, a fim de serem partilhadas no portal PEGADAS.

Resposta ao desafio: Agrupamento de Escolas Gil Vicente.

Novembro 2021
O que é a COP26 e porque é que é poderá ser a última oportunidade para salvar o planeta?

Nas próximas duas semanas de novembro, na cidade escocesa de Glasgow, os grandes líderes mundiais discutem sobre o problema das alterações climáticas. O objetivo é conseguir atingir um compromisso conjunto para reduzir as emissões de carbono e manter o aquecimento global abaixo de 1,5 graus Celsius.

Será esta uma missão impossível? Quais os principais obstáculos? O que precisa ser feito com urgência?

Procura informação sobre esta importante cimeira e diz-nos quais as estratégias que deverão ser adotadas para conseguirmos atingir as metas desejadas.

O que podes fazer individualmente para ajudar?

Desenvolve uma apresentação, com foco nos problemas existentes, os desafios que temos que superar, as metas e as tuas soluções.

Partilha connosco o teu trabalho de investigação.

Todas as contribuições deverão ser remetidas para: pegadas@cm-guimaraes.pt, a fim de serem partilhadas no portal PEGADAS.

Outubro 2021
Mais de um terço dos países não possui padrões legais de qualidade do ar, diz ONU


Uma análise lançada pelas Nações Unidas em 2020, revela que um terço dos países do globo não possui padrões de qualidade do ar exigidos por lei. 

O alerta partiu do Programa da ONU para o Ambiente e da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas vésperas do Dia Internacional do Ar Limpo, assinalado no passado dia 7 de setembro.

 

A pesquisa examinou legislações sobre a qualidade do ar em 194 países, incluindo países da União Europeia, e assinalou ser necessário desenvolver modelos mais robustos de governança no que concerne à qualidade do ar e propõe ainda a criação de um tratado internacional sobre padrões da qualidade do ar. 

 

A OMS, por sua vez, afirma que a poluição do ar é o factor de maior risco para a saúde ambiental e humana. De acordo com esta organização estima-se que 92% da população mundial habite em áreas onde a poluição excede os limites de segurança, sendo a qualidade do ar responsável por milhões de mortes anualmente. Entre as vítimas a maioria são mulheres, crianças e seniores.  

 

Guimarães é considerada uma das cidades portuguesas com melhor qualidade do ar, todavia, é fundamental continuar a desenvolver esforços para manter os índices de qualidade do ar aceitáveis, no sentido de promover uma melhor qualidade de vida aos cidadãos. 

 

Desafiamos os alunos a descobrir mais sobre a poluição atmosférica. Quais os principais responsáveis, quais os países mais críticos e como podemos minimizar este problema tão presente nas áreas urbanas?

Aproveitamos para propor uma pesquisa à qualidade do ar em Portugal. Será que respiramos um ar de qualidade? 
 

Todas as contribuições deverão ser remetidas para pegadas@cm-guimaraes.pt, a fim de serem partilhadas no portal PEGADAS. 

Setembro 2021

RELATÓRIO DAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

O novo relatório dos especialistas do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), divulgado no dia 9 de Agosto, mostra de forma inequívoca que o clima está a mudar mais rapidamente do que se temia e que a culpa é das pessoas.

 

Segundo os cientistas e ativistas do painel mundial, apenas uma fração do aumento da temperatura pode ser atribuído, desde o século XIX, a causas naturais.

 

No relatório com mais de três mil páginas, os especialistas traçam cinco cenários, mas avisam, que muitos dos efeitos do aquecimento global vão perdurar “séculos ou milénios”, independentemente do que se fizer.

 

Seguindo a notícia, desafiamos os alunos, de todos os ciclos a investigar sobre o impacto das alterações climáticas em Portugal. O que está a acontecer no nosso pais fruto das alterações climáticas? Quais os impactos para Portugal? Que ações podemos tomar? 

 

Os PowerPoint criados ou reflexões PDF deverão ser remetidos para: pegadas@cm-guimaraes.pt, a fim de serem partilhados no portal PEGADAS.